Colposcopia

Assim como o preventivo a colposcopia é um exame complementar para diagnóstico e acompanhamento de doenças genitais femininas e prevenção de câncer de colo uterino, vulva e vagina. É um exame mais específico que o preventivo porque com ela sabemos realmente se existe alguma área doente.

Se trata de um exame parecido com um exame ginecológico convencional, ou seja, você fica em posição ginecológica, e então será colocado o espéculo vaginal (“bico de pato”) expondo o colo uterino. A diferença é que o colo é observado com um aparelho chamado de colposcópio, que nada mais é que um grande microscópio que aumenta a imagem em até 25 vezes permitindo uma melhor avaliação da vulva, vagina e colo do útero.

A partir daí, serão colocadas soluções líquidas específicas que irão reagir identificando, se há alguma área suspeita da ação do vírus do HPV.

Em caso de alguma área suspeita da ação do vírus do HPV se faz necessário à realização de uma biópsia. Calma, calma! Esta é realizada com anestesia local, portanto SEM DOR! É retirado um pequenino fragmento ( biópsia ) que será enviado para análise ( exame histopatológico), o qual fechará o seu diagnóstico.

Trata-se de um procedimento muito rápido que dura no máximo 5 minutos!

Importante também dizer, que depois do exame você não sai sangrando, e poderá continuar com a sua rotina normalmente. Algumas outras orientações são dadas após o término do exame.

No consultório faço o exame mais completo que chamamos de Genitoscopia onde examinamos a vulva ( Vulvoscopia ), a vagina ( Vaginoscopia ) e Colo uterino ( Colposcopia ) porque o HPV causa doença também nestas áreas.

Os cuidados que são necessários para a realização do exame:
• Não pode estar menstruada
• Não pode estar usando creme ginecológico 2 dias antes do exame.
• Não pode ter tido relação sexual no dia anterior ao exame.
• Paciente não pode ser virgem ( a não ser se for solicitado somente a vulvoscopia)

Além destas orientações é muito importante trazer o resultado do último preventivo e se houver os exames de colposcopias anteriores.

Tratamentos considerados:
A opção do melhor tratamento e ou acompanhamento é individualizado, e portanto, irá depender do resultado do seu exame.

Entre eles temos como arsenal:
1) Acompanhamento Clínico. Que nada mais é do que um controle clínico da sua doença ou seja acompanhamento com preventivo ( Papanicolau ) e colposcopia semestrais. Muito usado para as Lesões intraepiteliais de baixo grau ( LSIL – NIC I ).

2) Eletrocauterização das lesões. Muito usado para os Condilomas Acuminados e de alguns casos de Lesões intraepiteliais de baixo grau ( LSIL – NIC I ).

3) Cauterização química com TCA. Usamos um tratamento no consultório onde lançamos mão de um ácido manipulado nas verrugas genitais.

4) Creme local imunomodulador.
É um creme dermatológico com a substância Imiquinode. Seu mecanismo de ação é completamente conhecido. Ele funciona como um imunomodulador, ou seja, modifica a resposta imunológica fazendo a remissão das lesões específicas da pele quando aplicado de acordo com a orientação e indicação médica. É indicado em casos de Condiloma Acuminado causados pelo vírus do HPV.

5) Tratamento Cirúrgico.
Opto sempre quando possível em realizar a técnica mais moderna e menor invasiva conhecida como LLETZ ( Large Loop Excison of the Transformation Zone ), ou como LEEP ( Loop Electrosurgical Excision Procedure ) ou, simplesmente como Exérese da Zona de Transformação por Alça Diatérmica EZTA.

Neste procedimento retiramos a doença com alça diatérmica larga de vários tamanhos e formas preservando a anatomia do colo uterino para não haver problemas na gestação futura.

Indicadas para tratamento das lesões pré malignas do colo uterino ( HSIL – NIC III ).

Se trata de procedimento cirúrgico em regime hospitalar de Day clinic, no qual a área doente é retirada com mínimo dano ao seu colo uterino.

Esquema abaixo:
colposcopia

colposcopia

Após o procedimento a paciente deverá permanecer sob controle por 2 anos semestralmente com preventivo ( Papanicolau ) e Colposcopia.


Facebook